•  
  •  

Madeira


O arquipélago da Madeira é a mais antiga estância turística do País. Apesar da sua dimensão territorial é impressionante a diversidade e a unicidade dos produtos regionais. Nomeadamente, o bordado da Madeira, os típicos cestos de vime, os trajes tradicionais do grupo de rancho folclórico, as casas típicas de Santana, para não esquecer os deliciosos sabores da gastronomia local (a espetada madeirense acompanhada do bolo do caco, o filete de peixe-espada preto frito servido com banana local cozida, entre outros), as bebidas locais como  o refrigerante com sumo de maracujá, a poncha, o vinho da Madeira, os doces tradicionais, as festas regionais, entre outros. Estas foram algumas das razões que seduziram a professora Fernanda Ricardo e os seus alunos, levando-os a uma viagem de imensas vivências culturais.  

O programa, com nomes ajustados para cada dia, refletiu bem a ótima organização da visita. Segue o mesmo com os comentários da professora Fernanda sobre os momentos vividos.

Domingo, 14 de abril de 2019 - “As maravilhas naturais da ilha”

Da imponência do Cabo Girão à vertiginosa descida e visita guiada da Fajã dos Padres, passando pela Encumeada até ao momento de descontrair no Paúl da Serra, o planalto central da ilha.  Pausa para o almoço em Porto Moniz: peixe-espada preto com banana frita e legumes acompanhado das bebidas locais, a brisa de maracujá e a laranjada. Tempo ainda para molhar os pés nas maravilhosas piscinas naturais de origem vulcânica de Porto Moniz e do Seixal. Paragem no coração da floresta Laurissilva em São Vicente. Regresso ao Funchal com direito a uma última visita: a charmosa cidade piscatória de Câmara de Lobos, a cidade dos Xavelhas, do peixe-espada preto e da poncha.

 Ao longo de toda a excursão, houve oportunidade não só para a observação das principais plantações da ilha – da banana, da cana de açúcar e da vinha, bem como para se apreciar a beleza presente na diversidade da vegetação endémica e exótica da ilha, devidamente comentadas pelo nosso guia local.

Segunda-feira, 15 de abril de 2019 - “Do centro histórico do Funchal à vila do Monte”

Na parte da manhã a realização de um Peddypaper pelo centro histórico do Funchal (organização a cargo da agência “Madeira-Harmony in Nature”). Após a visita do Museu “Madeira Story Center”, os alunos apanharam o teleférico até à vila do Monte (uma das freguesias do Funchal), onde se seguiu uma interessante e divertida visita guiada ao Jardim Tropical Monte Palace (da Fundação Berardo).

Para terminar o dia em grande, foi feita a tradicional descida nos típicos carros de cesto até ao Livramento. Criados em 1850, este meio de transporte  do Monte ao Funchal era utilizado, exclusivamente, pelas classes mais abastadas.  

Terça-feira, 16 de abril - “Ao sabor das ondas do mar”

Na parte da manhã, teve lugar um “inesquecível” passeio de catamarã (do Funchal até ao Cabo Girão), tendo-se avistado algumas espécies de golfinhos-pintados. Posteriormente, o grupo regressou à marina do Funchal para uma visita ao museu do jogador Cristiano Ronaldo.

Na parte da tarde, regressou-se novamente ao centro histórico do Funchal para uma visita guiada, durante a qual os alunos ficaram a saber mais sobre a história do Funchal e dos seus monumentos mais emblemáticos.

Quarta-feira, 17 de abril - Jipe Safari em direção ao leste do ilha

A primeira paragem foi no Terreiro da Luta, a última estação da antiga ligação ferroviária do Funchal ao Monte e, onde foi construída em 1927 uma estátua do Santuário da Nossa Senhora da Paz, para comemorar o fim da Primeira Guerra Mundial, durante a qual a ilha da Madeira foi atacada.  Seguimos viagem em direção à terceira maior elevação da ilha, o Pico do Areeiro, mas foi-nos impossibilitada uma paragem devido ao forte nevoeiro que se fazia sentir naquela zona. Mais adiante, no concelho de Santana, rodeados novamente da floresta Laurissilva, os alunos puderam visitar o Posto Aquícola de Ribeiro Frio com os viveiros de Trutas Arco-Íris e cuja produção serve para repovoar as ribeiras e as levadas da ilha. Para nossa surpresa, foi-nos proposta uma caminhada ao longo de uma das levadas, que nos conduziu ao Miradouro dos Balcões, com vista para as principais elevações da ilha. 

Após a visita do parque das Casas Típicas de Santana, continuámos a nossa viagem em direção a Porto da Cruz, onde estava prevista uma visita guiada ao Engenho do Norte, um dos poucos que ainda funciona parcialmente a vapor. Com esta visita, os alunos puderam conhecer as diversas etapas de produção do rum agrícola, desde a entrada na fábrica e pesagem da cana de açúcar até à sua fase final. Por conseguinte, constatou-se a importância que a cana de açúcar teve e continua a ter na economia madeirense.

Antes de concluir a nossa viagem, esperava-nos uma última  e memorável paragem na Ponta de São Lourenço. A escassa vegetação aliada aos ventos fortes transportou-nos por breves momentos a um outro local diferente de tudo aquilo que tinha sido visitado anteriormente. Uma das paisagens mais marcantes de toda a viagem!

Já em modo de despedida, a última noite foi passada num restaurante típico do Funchal. Ao som do bailinho da Madeira, com a animada atuação do rancho folclórico da freguesia de Santo António,  houve tempo para um pezinho de dança, não sem nos deliciarmos com a espetada regional acompanhada do milho frito e do tradicional bolo do caco.

Uma viagem assim só poderá deixar boas recordações!

Tag cloud

18-de-maio 20018-19 2018 2018-19 2019 2019-2020 24-de-abril-de-1974 29-de-maio 2edição 40 5-de-outubro 5-sentidos 90-anos a2 advento albertina-lopes aldeia-de-saint-saphorin alto-douro alunos amélia-pessoa artista atividades atrapalharte Área-consular-de-zurique b1 basel basileia bárbara-almeida biel-bienne bläsi bolsa buchlern bussigny camões camões-em-rede camões-ip candidatura carmen-bulas carnaval catarina-correia cecília-froidevaux cepe cepe-suíça cerimónia certificação cheseaux chur ciência cindy-santos cláudia-pereira co-cayla co-golette colaboração comemorações comunidades-estrangeiras comunidades-portuguesas concurso-local conferência construir contar-histórias contos-de-natal coordenação coordenadora-lurdes-gonçalves cristina-fonseca cultura cursos-lcp d-maria-ii davos dia-da-língua-portuguesa dia-de-portugal diário-de-aveiro digressão dinamização-de-histórias elisa-monteiro elisabete-moreira emigrantes encarregados-de-educação encontros-com-a-literatura ensino-superior ep-europe ep-palettes epe epe-suíça escrita escrita-criativa escritora estrela exames-proficiência expoculturalusa exposições fernanda-ricardo finalistas flims formação frauenfeld genebra gland gossau gratidão grône hardau helena-freitas herisau histórias humor ic iii-jornadas imagens implantação-da-república inscrições inverno isabel-pereira jornadas-epe-suíça jornadas-plurais jornal kamishibai la-chaux-de-fonds lausanne lavaux língua-portuguesa línguas lcp le-mini-mag leitura lenzerheide lincool lingua-de-herança lingua-e-cultura-portuguesas lisboa literacia-plurilingue literatura londres lucerna luzern madeira maio marília-taveira maria-da-luz-silva moudon multilingue museu-de-fotografia-de-vevey museu-olímpico natal nechâtel neve newsletter nyon oficinas partilhar património paula-queiroz paula-rodrigues paula-santos pérolles peddy-paper plh portugal portugal-open portugal-open-19 português prilly professores reflexão regensdorf regulamento renens renovações reportagem revista riddes riedtli rita-vilela sankt-gallen santos-populares sábado são-valentim sílvia-coelho símbolos sónia-melo secretário-de-estado semana-da-leitura setembro sg solidariedade st-gallen st-johann suíça teatro teresa-küffer thusis tropo turismo valais valais-em-português verão villars-sur-glâne villars-vert visita-de-estudo yverdon-les-bain